Gustavo Frigotto e Nicolas Salmini reforçam a Paraguay Racing na Cascavel de Ouro

Campeã da prova em 2016, a Paraguay Racing teve  a confirmação de uma dupla de curitibanos para a disputa da edição que vai marcar, no dia cinco de novembro, o cinquentenário da Cascavel de Ouro. Um dos carros da equipe, o Ford Fiesta número 86, terá Gustavo Frigotto e Nicolas Salmini como pilotos na prova, que premiará os vencedores com R$ 100 mil e o troféu caracterizado por conter uma serpente confeccionada em ouro.

Frigotto atua desde 2015 no Campeonato Brasileiro de Turismo, série de acesso à Stock Car em que conquistou nove pódios, um deles como vencedor. Antes disso, passou pelos campeonatos Paranaense e Curitibano de Kart, em 2010, foi terceiro colocado nas 500 Milhas de Kart em 2011, obteve uma vitória e quatro pódios na Fórmula 3 sul-americana entre 2012 e 2013 e participou da Sprint Race Brasil em 2014, terminando a temporada como terceiro colocado.

“Os melhores pilotos do Brasil de diferentes categorias se enfrentam de igual para igual na Cascavel de Ouro, em carros que proporcionam uma corrida disputada do inicio ao fim”, observa Frigotto. “Ter uma participação de sucesso é uma grande satisfação e um grande aprendizado para qualquer piloto. Os custos são bastante acessíveis e se tem muito tempo de pista, o que é ótimo pra preparação para o Brasileiro de Turismo”, diz o piloto de 22 anos.

Salmini, de 19 anos, dedicava-se ao automodelismo na infância. Veio de Frigotto a influência para que passasse a se dedicar às corridas de kart. Teve a primeira atuação em campeonatos no Sul-Brasileiro de 2011, onde conquistou o vice-campeonato. O contato com as corridas teve sequência acompanhando seu pai Jorge Salmini, chefe de equipe da Paraguay Racing na Copa Petrobras de Marcas. Em 2017, veio a oportunidade de voltar a pilotar.

“Disputei uma etapa do Campeonato Brasileiro de Turismo 1600. Mesmo sem resultados tão bons, a estreia em Curitiba me permitiu aprender bastante”, comenta Salmini. Na etapa seguinte, em Goiânia, ele teve uma quebra de câmbio na primeira bateria. Na segunda, largando em 27º, terminou em quinto. “A Cascavel de Ouro vai ser uma excelente oportunidade de me reunir com o Gustavo, meu amigo de infância, para acelerarmos juntos”, considera.

Texto: Grelak Comunicão/Divulgação.

Copyright© 2007-2017 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização